De Halve Maan chega ao Brasil

A centenária cervejaria belga De Halve Maan, que produz as famosas Brugse Zot e Straffe Hendrik, está desembarcando em solo brasileiro em dezembro. E não trata-se de um ou dois rótulos, mas de importação direto da fábrica, sem intermediários — com direito a copos, materiais promocionais, consultoria, treinamento e até visitas de executivos da cervejaria.

O responsável pela marca no Brasil é Marcel Ocampo, que trabalha em parceria com o executivo da De Halve Maan na Bélgica, Steve Snauwaert. De acordo com Marcel, que já trabalhava no ramo da importação e de vinhos, quando procurou a fábrica para estabelecer uma parceria, eles já estavam buscando uma forma de atuar em mercados emergentes, como Brasil, China e México, mas com a condição de serem os responsáveis pelo branding da marca e de que não houvesse importação de outras cervejas pela empresa.

“Faz um ano, aproximadamente, que estamos trabalhando juntos para introduzir a cerveja no mercado brasileiro da maneira mais correta possível, passo a passo”, explica. E acrescenta que o objetivo vai além da importação: envolve prestar assessoria de venda aos clientes e fazer com que entendam os bastidores e a qualidade da De Halve Maan.

“Me sinto muito realizado em poder compartilhar com todos a oportunidade de beber uma cerveja Brugse Zot e Straffe Hendrik, e realizado em ver que o projeto está sendo tratado com
muito carinho por todos os envolvidos”, comemora Marcel.

Primeira importação

O primeiro lote das cervejas De Halve Maan está previsto para chegar no próximo mês ao Brasil, com as tradicionais Brugse Zot Blond, Brugse Zot Dubbel, Straffe Hendrik Tripel e Straffe Hendrik Quadrupel — todas, de 330 mL. Os rótulos sazonais, Heritage, Wild e Bock, além das cervejas em barril e em garrafas de 750 mL, devem chegar ao país a partir do primeiro trimestre de 2016.

Ainda não foram divulgados os estabelecimentos que realizarão o lançamento dos rótulos, mas, em um primeiro momento, serão abrangidos os estados de São Paulo e Rio de Janeiro. “O mais importante na chegada ao Brasil é garantir aos consumidores um produto fresco e de alta qualidade”, afirma o empresário.

Sobre a De Halve Maan

A cervejaria da meia-lua data do século XVI em Bruges, cidade belga que ainda preserva sua arquitetura medieval, a cerca de 100 km da capital Bruxelas. A família Maes, proprietária da fábrica deste o século XIX, mantém a produção no mesmo local — tendo o empreendimento sobrevivido às duas grandes guerras e, mais tarde, a forte influência norte-americana no consumo de refrigerantes.

Cervejoduto

Para diminuir o impacto ambiental e preservar o local histórico onde fica localizada a fábrica, foi iniciado, no ano passado, um projeto ousado: a construção de tubulações para transportar a cerveja dos tanques até a engarrafadora, que fica fora da parte medieval da cidade.

O cervejoduto terá 3,5 km de extensão e capacidade para 6 mil litros de cerveja por hora. Serão três tubos: um para passagem de cerveja, outro para água e um de back up. Os envolvidos garantem que não haverá impacto nenhum no sabor e qualidade das cervejas. Com a conclusão das obras, cerca de 500 caminhões-tanque, por ano, devem parar de circular, reduzindo a emissão de carbono e auxiliando na preservação das ruas.

Press-Release_De-Halve-Maan-2

Ainda não podemos viver a experiência de ter um “rio de cerveja” passando debaixo de nossos pés, aqui no Brasil. Mas o sonho de poder beber o líquido sagrado da De Halve Maan quase direto da fonte está perto de se tornar realidade. Um brinde a mais essa saborosa possibilidade!

 

 

2 Comments

  1. Pingback: De Halve Maan no Brasil: saiba onde ocorrem os lançamentos | Revista da Cerveja

  2. Pingback: Novidades de inverno da belga De Halve Maan chegam ao Brasil | Revista da Cerveja

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*